domingo, 18 de julho de 2010

Lembranças...

"...não te deixarei, nem desampararei".
Josué 1:5
São tantas as lembranças...
Lembro-me de quando era criança e brincava numa rua de barro, sem saída, bem próxima da minha casa. Lá corríamos muito e inventávamos muitas brincadeiras.
Meu pai ia na janela da nossa casa e assobiava, esse era o sinal que já estava ficando tarde e que eu deveria me despedir dos amigos e ir embora.
Já na adolescência lembro-me das amizades. Algumas perduram até hoje. Que período turbulento e maravilhoso ao mesmo tempo!!!
Chegou a juventude...doce juventude.
A idade adulta veio e com ela o equilíbrio, o amadurecimento e as responsabilidades em dobro.
Mas em todas essas fases da minha vida tive e tenho sempre a companhia do meu Mestre, Salvador e Amigo Jesus!
Em todos os momentos difíceis que vivi, principalmente na perda dos meus pais, eu sempre fui carregada em Seus braços, nunca duvidei disso, pois O sentia me ajudando e consolando.
Aquele poema: Pegadas na Areia, retrata lindamente esse cuidado de Deus por nós.
O final diz assim:
"Meu querido filho. Jamais eu te deixarei nas horas de provas e de sofrimento. Quando vistes, na areia, apenas um par de pegadas, eram as minhas. Foi exatamente aí que te carreguei nos braços".
Mary Stevenson (1936) / Margareth F. Powers (1964)

Queridos, seja em momentos felizes, tristes ou de desespero, creia: O Senhor é contigo!
Se abandone em seus braços e deixe que Ele te carregue.
"Pode uma mulher esquecer-se tanto do filho que cria, que se não compadeça dele, do filho do seu ventre? Mas ainda que essa se esqueça, eu todavia, não me esquecerei de ti".
Isaías 49:15

4 comentários:

Cida Kuntze disse...

Gostaria de explicar sobre as duas escritoras que coloquei os créditos do poema:"Pegadas na Areia".
Margareth Fishback Powers divulgou o poema como de sua autoria(1964), ela tem inclusive um livro com esse título. Mas Mary Stevenson disse que ela havia escrito(1936) e conseguiu os direitos autorais em 1984, após provar que a obra era sua.
Bom, isso tudo li na internet, pois quando ouvi esse poema pela primeira vez eu tinha 12 anos e na época era mencionado que o autor era desconhecido. Pra não fazer injustiças então achei melhor dar o crédito pras duas.

Tarciana Soares disse...

Cida fiquei muito feliz com sua visita no meu blog, e fiquei maravilhada com suas palavras aqui, parabéns pelo blog, lindo!! Deus falou ao meu coração através do seu blog. Continue compartilhando conosco do amor do nosso Pai, pois muitas vidas são abençoadas e consoladas através de suas palavras.
Eiii, e olha que legal, lendo o seu blog vi que temos algumas coisas em comum... Além do amor que temos pelo nosso Deus, somos pedagogas e ano que vem pretendo fazer pós em psicopedagogia. Vê que legal! Pelo visto vamos ter muito que compartilhar uma com a outra.
Que Deus te abençoe...
Estou te seguindo aqui no blog, viu?

Beijos

Vania Ferro disse...

Bom dia Cidaaa!!!!!!! amei sua postagem e seu recadinho. Uma boa semana pra vc também. Vou deixar aqui meu msn para estreitarmos nossa amizade vaniaferro@hotmail.com. Xero no coração!

Nara disse...

Nossa, tenho esse poema em um quadrinho na cabeceira de minha cama! Ganhei quando criança; é um consolo em momentos difíceis. Bjss!