sexta-feira, 22 de abril de 2016

Satisfação nas tarefas concluídas...

"Tudo quanto te vier à mão para fazer, faze-o conforme as tuas forças, porque na sepultura, para onde tu vais, não há obra nem projeto, nem conhecimento, nem sabedoria alguma." 
Eclesiastes 9:10.

"As crianças frequentemente começam um trabalho com entusiasmo; mas, quando se cansam dele ou se atrapalham, querem mudar de atividade e fazer alguma coisa nova. E assim, começam várias coisas, ficam desanimadas e as abandonam. Desse modo, passam de uma coisa para outra, sem aperfeiçoar nenhuma.
Os pais não devem permitir que o gosto pela mudança  domine os filhos. Não devem estar tão empenhados em outras coisas que não tenham tempo para disciplinar  com paciência as mentes em desenvolvimento. Algumas palavras de encorajamento ou um pequeno auxílio no devido tempo podem fazê-los transpor a dificuldade e o desânimo; e a satisfação de ver a tarefa que empreenderam os estimulará a maiores esforços.
Muitos filhos, por falta de palavras de ânimo e um pouco de assistência em seus esforços, ficam desanimados e mudam de uma coisa para outra, e levam consigo esse triste defeito na vida adulta. Não conseguem ser bem-sucedidos nas coisas em que se empenham, pois não foram ensinados  a perseverar sob circunstâncias desanimadoras. Assim, toda a vida de muitas pessoas se demonstra um fracasso, porque não tiveram a correta disciplina quando eram novas. A educação recebida na infância e na juventude afeta toda a sua carreira profissional na vida adulta, e sua experiência religiosa carrega a mesma marca." (Ellen G. White - Testemunhos para a Igreja, v. 3, p. 147,148)

Eu estava lendo o livro: Orientação da Criança de Ellen G. White, onde tem conselhos preciosos para os pais. Quando me deparei com essa parte acima, desejei compartilhar com vocês. 

Queridos, que possamos incentivar nossas crianças, sejam elas filhos ou irmãos mais novos, a perseverarem em seus projetos e tarefas, para que no futuro tenham sucesso em seus empreendimentos e principalmente na vida espiritual e emocional.

Abraços a todos e fiquem com Deus!

4 comentários:

Celina Pereira disse...

Pois é mesmo, Cida.
Não lembrava deste texto, mas sempre achei que mudanças de rumo constantes são sinal de falta de equilíbrio e vejo agora que podem ser resultado de falta de orientação correta.
Há alunos da Universidade (geralmente da Universidade pública gratuita aqui, mas também de Faculdades particulares) que vivem constantemente mudando de curso. Veja quanto tempo e esforço se perdem nisso.
Graças a Deus, o Lucas continua firme no terceiro semestre de Direito.
Observo essas mudanças também nos alunos de piano. Alguns desistem logo, embora no início aprendam bem. Quando observam que precisarão dedicar tempo aos estudos, lá se vai o interesse. Parabéns à Flávia.
Ficou grande o comentário.
Sábio este texto.Bom sábado! Beijos!

Maria Rosa Sonhos disse...

Oi Cida!

Procrastinação é um vício que, infelizmente, muitos têm. É preciso vigiar e ensinar às crianças desde cedo que o começado deve ser concluído.

Laura não é de adiar as coisas. Mas, outro dia inventou de copiar um livro inteiro no diário dela. Não era grande o livro, mas deu trabalho. Então quando quis deixar a tarefa pela metade, falei que não podia.

Então expliquei que toda tarefa iniciada deve ser concluída para aprender e firmar a responsabilidade.

Beijo!

Renata e Laura

Filipe Oliveira disse...

Boa tarde, Cida!

Nos últimos tempos tenho pensado no quanto que a educação dos meus pais influenciam em minha atual fase adulta. Acredito mesmo que a infância deve ser bastante valorizada como momento único para investir na transmissão de valores fundamentais para vida.

Isso também aponta para a necessidade de maior preparo espiritual e intelectual por parte dos pais, para que saibam agir de forma positiva diante desse processo. Ser pai é uma grande responsabilidade.

Até mais! Abraço!

Lucinalva disse...

Olá Cida
Texto muito interessante, os pais tem um papel muito importante na vida dos filhos. Bjs querida.